A (não) Festa de Santo Antônio em Barbalha

festa de santo antonio

A Festa de Santo Antônio

A Festa de Santo Antônio popularmente conhecida como festa do pau-da-bandeira carrega consigo o título de uma das manifestações culturais mais emblemáticas do sul do Ceará, em seu aspecto religioso por se tratar da celebração que antecede o dia do padroeiro da cidade, reunindo devotos de diversos locais para a comemoração, bem como culturalmente é vista como abertura dos festejos juninos no Cariri.

Historicamente não há conhecimento preciso quanto ao início dos festejos que ocorrem nas semanas anteriores ao dia do padroeiro em 13 de junho. A tradição do carregamento do pau contendo a bandeira de Santo Antônio possui início em duas vertentes, uma que remete ainda à época da colonização, e outra a do ano popularmente conhecido como marco das tradições que é 1928, sendo assim as manifestações comemorariam seus 92 anos.

O hasteamento da bandeira teve como precursor o Padre José Correia, que no início de 1928 assumiu a paróquia de Barbalha e inspirado pelos costumes populares durante os meses de junho de hasteamento de bandeiras nas festas do santos impulsionou os cortejos do carregamento do mastro em que consta a bandeira de Santo Antônio.

Durante esse quase um século desde o registro do início dos festas a comemoração presenciou várias mudanças, mas nenhuma tão abrupta como a que ocorre nesse momento, a não realização da festa em 2020 traz para o município de Barbalha o sentimento de saudade, mas a consciência da necessidade do cancelamento da mesma

Alternativas para a Festa de Santo Antônio

Estamos inseridos em um cenário completamente diferente do que estávamos acostumados. O mundo já não é mais o mesmo, e diante disso, estamos tendo que nos adaptar e reinventar, para que possamos continuar vivendo da melhor maneira possível, conforme nossas novas prioridades e restrições.

No ano que completaria 92 anos da Festa de Santo Antônio de Barbalha, devido a crise que se instaurou por conta do coronavírus (Covid 2019), foi necessário o cancelamento da festa. No que tange a importância desta para o município, a prefeitura junto à Secretaria de Cultura e Turismo, desenvolveu o projeto “Quarentena Digital”. A ação tem como objetivo fazer um festival completamente online para que a Festa de Santo Antônio e os Festejos de São João e São Pedro – datas esperadas durante o ano todo – não passem em branco.

As inscrições ocorreram pela internet entre os dias 21 e 28 de maio, por uma plataforma criada no próprio site da prefeitura. Quanto ao festival online, este irá acontecer em dois momentos, do dia 30 de maio a 13 de junho e do dia 18 a 28 de junho, por meio de lives nas redes sociais oficiais da cidade de Barbalha.

Os “Festejos Juninos online 2020” servirão como um momento de lazer e distração para a população, além de ajudar os artistas locais na divulgação do seu trabalho, onde os mesmos também receberão uma quantia em dinheiro visto a ausência de contratantes nesse momento.

Ademais, o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) desenvolveu a ação “Memória da Festa”, que com a ajuda do público, divulga pequenos vídeos documentais nas suas redes sociais com histórias, lembranças e homenagens ao festejo de Santo Antônio.

Entre os depoentes se encontram professores, devotos, produtores culturais, além de personagens fundamentais para sua realização. Em um dos depoimentos, o professor da Universidade Federal do Cariri (UFCA), Josier Ferreira, destaca a significância da festa “o Pau da Bandeira materializa a fé carregada nas mentes, nos corações e nos ombros dos devotos. É uma festa subsidiada pela floresta; cuja relação da sociedade com a natureza é mediada pela fé”.

Reflexos da festa de Santo Antônio na cidade

A festa, além de sua importância religiosa que atrai milhares de devotos, também possui uma grande importância socioeconômica. Todos os anos passam cerca de 350 mil pessoas na festa de Santo Antônio, dentre moradores locais e pessoas de outros lugares do país.

Essa movimentação no município gera uma rotatividade na economia, aquecendo o comércio local, beneficiando tanto pequenos vendedores, como ambulantes, não só de Barbalha mas de Crato e Juazeiro do Norte, também.

Durante o período de festejos que duram entre 13 e 15 dias, vários setores veem suas vendas aumentando freneticamente. Lojas de vestuário, calçados, restaurantes muitas vezes veem a necessidade de realizar contratações temporárias para dar conta de atender a todos os clientes; os serviços de hotelaria não ficam de fora, empresários do ramo dizem atingir uma lotação de 90%.

Infelizmente, com a pandemia da Covid-19 e adiamento da festa por ora, segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Barbalha (CDL), estimula-se que as lojas da cidade deixaram de faturar cerca de 300% em relação a outros períodos do ano. Muitos consideram o período da festa como o “pulmão da cidade”.

REFERÊNCIAS

Ação Memórias da Festa traz histórias do Pau da Bandeira de Santo Antônio, em Barbalha
(CE). Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/5706/acao-memorias-da-festa-traz-historias-do-pau-da-bandeira-de-santo-antonio-em-barbalha-ce. Acesso em: 10/06/2020.

Com adiamento da Festa de Santo Antônio, comércio de Barbalha estima perda de
faturamento. Diário do Nordeste. Disponível em: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/regiao/com-adiamento-da-festa-de-santo-antonio-comercio-de-barbalha-estima-perda-de-faturamento-1.2249706. Acesso em: 13/06/2020.

SOUZA, Océlio Teixeira de. A festa do pau da bandeira de Santo Antônio de Barbalha (Ce):
entre o controle e a autonomia (1928–1998). Rio de Janeiro: UFRJ/UFC, 2000.

css.php